Como se posicionar profissionalmente



Por que é tão importante nos posicionarmos profissionalmente? Aposto que, em algum momento da carreira você já pensou nisso. Mas para quê? Como fazer errando menos? Quais os riscos do posicionamento profissional versus a comodidade de fazer um bom trabalho sem alarde? Vamos começar pelo começo.


Estamos num momento em que, impulsionados pelas redes sociais como um meio de alcance e visibilidade, profissionais autônomos, independentes, prestadores de serviços, funcionários públicos ou corporativos - todos saem beneficiados quando se posicionam como pessoas com boa reputação, qualificadas, eficazes, produtivas. Isso é o que nos dá valor percebido. Ou seja, valemos mais, somos mais caros à medida em que desenvolvemos nossa atividade profissional com autoridade, boa comunicação, flexibilidade, sociabilidade.


O posicionamento profissional requer boa comunicação. Não basta fazer, é preciso comunicar ou corre-se o risco de não tentar garantir valorização pelo cliente, pelo chefe, pelo mercado. Nem sempre o melhor é o que mais aparece. Comunicar com clareza, autenticidade, é parte importante desse processo.


➜ O primeiro ponto é ter consciência sobre "no que você é realmente bom". Quais são os pontos fortes que fazem você valer, ser procurado para opinar ou resolver, ser contratado. O que é?


Segundo ponto: o que você precisa melhorar ou desenvolver? O que falta pra você melhorar naquilo que não vai tão bem e precisa subir a régua? Seja sincero consigo.


Terceiro ponto: Pergunte para pessoas próximas (e verdadeiras) o que elas pensam a seu respeito, como te percebem e o que diriam para você melhorar. Se as respostas confirmarem o primeiro e o segundo pontos, parabéns! Você está comunicando bem.


Quarto ponto: como você quer se posicionar? Como referência em sua atividade? Então para isso você precisará comunicar mais. Seja um radar de assuntos na sua especialidade.


Consuma conhecimento, compartilhe em suas redes e rodas de conversa, mas sempre com uma opinião sobre os temas. Simplesmente repassar informações não leva muito além. O valor está justamente no que você tem a dizer. É aí que as pessoas vão começar a perceber valor.


Ainda neste ponto, escolha estrategicamente um tema principal e até quatro temas secundários para formar o seu universo de domínio. É assim que você passará a ser reconhecido e identificado e forma-se um conceito de referência.


Quinto ponto: tenha as suas referências, um board de pessoas-inspiração. Observe como essas pessoas comunicam, a trajetória delas. Se forem próximas, interaja!


Sexto ponto: cuide da sua marca individual. Capricho consigo, desde a aparência, escolha do conteúdo, e não maltrate o idioma. Busque ajuda de profissionais que tenham know-how para auxiliar você neste ponto.


Sétimo ponto: tenha constância em sua comunicação. Nós vivemos 100% e muitas vezes comunicamos desperdiçando oportunidades de gerar empatia, identificação, legado e valor.

Talvez você ainda se pergunte se precisa mesmo posicionar a sua representatividade no seu trabalho.

➨ Certo, mas por que quem está confortavelmente empregado deve se preocupar com isso se está contratado? E quem não está à procura de emprego? E quem não quer mudar de empresa? Por que pensar nisso?

Porque não se sabe o dia de amanhã e quem hoje está confortavelmente empregado pode precisar tirar a poeira dos ombros, polir a testa e sair em busca de um novo trabalho. Nesse caso, a pessoa vai pensar: "eu deveria ter cuidado da minha imagem de marca pessoal lá atrás".

Porque pessoas, profissionais seguros, cientes dos pontos fortes e fracos, transitam melhor no mercado, conseguem exercitar a network saudável, comunicam bem e se fazem evidentes, posicionados.

➨ Ok, mas eu já estou no LinkedIn e acho que isso é suficiente. Ah, também uso o Instagram e interajo pessoalmente por lá.

Não sei se você sabe, mas o LinkedIn serve para muito (mas muito) mais do um currículo vivo e para procurar emprego. O LinkedIn é uma rede profissional altamente eficaz para dar visibilidade às marcas pessoais, para posicionar com ideias e opiniões, para fazer network e abrir as próprias oportunidades e fazer o mercado prestar atenção em você. Não o contrário.

➨ Mas se eu começar a postar conteúdo no LinkedIn a empresa em que trabalho pode pensar que estou procurando outro emprego? Não quero correr este risco.

Vou te contar uma coisa. Empresas que trabalham bem o endomarketing já perceberam que o brilho do funcionário visível ao mercado é, indiretamente, também o sucesso dela. Então observe o tipo de empresa para quem você escolheu vender a sua força de trabalho. Sim, estou sendo cruel, mas você aceitou. É claro que sei que existem inúmeras empresas tóxicas, chefes tóxicos, que só veem o antigo hábito de, veladamente, tolir a comunicação dos funcionários. Mas tem jeito. Usar o LinkedIn para opinar sobre assuntos que você domina, repostar notícias e dar opinião justificada não faz mal a ninguém. Muito pelo contrário. Isso é trabalhar com informação e inteligência a seu favor, sem desmerecer quem tem emprega.


Na prática, como posicionar a marca pessoal usando as redes sociais


  1. Comunique.


Se você tem facilidade para escrever, escreva sobre o que domina, mas foque no problema que você resolve ou como seria possível resolver, baseado nas suas experiências.


2. Inclua a comunicação na sua rotina.


É muito importante que a comunicação esteja inserida na vida, no dia a dia. Se for um peso não vai funcionar. Tente abrir um tempo na agenda para produzir o seu conteúdo, postar, interagir. Hoje é tão importante quanto fazer uma reunião de trabalho.


3. Comunique com objetivo.


Sem essa de postar por postar. Você não envia mensagens ou liga para alguém para falar de trabalho sem assunto. Pense na intenção daquele comunicado. Se não fizer sentido, não publique.


4. Invista em si.


Aprenda, aprenda, aprenda. Experimente, tente, teste. Se não for assim, as coisas não evoluem. Leia, converse, escute, observe. Absorva aprendizados e compartilhe o que sabe. Seu posicionamento não ficará igual.

Como você viu aqui, posicionamento é escolha. É, de certa forma, fazer a gestão da carreira, da imagem de marca pessoal e profissional. Comece hoje, reposicione, se necessário.

Para receber informações sobre a consultoria para posicionamento e gestão da marca individual, envie um email para contato@lucianebemfica.com

www.lucianebemfica.com

Luciane Bemfica é jornalista, especialista em desenvolvimento de marcas pessoais.

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo